Available in: Compartilha o artigo

Ricardo Pimentel, Presidente da Freguesia de Sambade: No nosso caso é muito importante saber o que acontece nos outros países, e daí tirar ideias para elaborar novos projetos e aproveitar o melhor que se faz por essa europa fora.

Sambade é classificada como a "Aldeias de Portugal". Tal coisa é entendida como uma oportunidade para a preservação e valorização da localidade, afirmando-a como polo de desenvolvimento e atração turística.
  • Quarta-feira, 26 de Setembro de 2018, 13:00h, 4788 impressions
  • Author Olya Georgieva
Medium ricardo
Fonte: Parish of Sambade

Recentemente, Freguesia de Sambade tornou se na primeira Eco Freguesia do concelho da Alfândega da Fé. O prémio significa a qualidade de vida alta oferecida aos habitantes. Sambade também está no top 10 das freguesias mais sustentáveis em Portugal. Conte-nos mais sobre o trabalho realizado na promoção do desenvolvimento sustentável da comunidade.

 Prémio Eco-Freguesias XXI é atribuído com base na análise de 10 indicadores de sustentabilidade local: Educação para a Sustentabilidade; Gestão Ambiental; Mobilidade e Transportes; Espaços Públicos; Biodiversidade e Espaços Verdes; Informação e Participação Pública; Serviços de Proximidade; Animação Sociocultural; Promoção do Desenvolvimento e Visão do Desenvolvimento. “Uma Eco-Freguesia é, neste contexto, uma freguesia que respeita os princípios de desenvolvimento sustentável e de inclusão e justiça social, é economicamente próspera e socialmente dinâmica. Ser Eco-Freguesia é ter condições favoráveis de empregabilidade, acessibilidades, e ampla e qualificada oferta de serviços e equipamentos, que contribuam para melhorar as suas condições de atratividade e competitividade”.

 

Sambade foi  a primeira aldeia 100% LED em Portugal. Conte-nos mais sobre a projeto e o que trouxe essa mudança.

A freguesia de Sambade, em Alfândega da Fé, ganhou uma nova luz e transformou-se na primeira aldeia daquele concelho com iluminação LED. Toda a iluminação pública foi substituída tendo sido trocadas 469 lâmpadas convencionais, num investimento que ronda os 80 mil euros, num projeto desenvolvido pela Câmara Municipal de Alfândega e Junta de Freguesia de Sambade, em parceria com a EDP. Para além da significativa poupança financeira, uma das preocupações da autarquia Alfandeguense também se prende com o meio ambiente já que as luminárias de tecnologia LED permitem uma redução das emissões de dióxido de carbono. "Esta mudança é bastante positiva em vários aspetos, vai traduzir-se numa diminuição significativa da fatura energética, estimando-se uma redução de 61% na energia consumida e uma poupança financeira na ordem dos 4 mil euros anuais", explicou Ricardo Pimentel, Presidente da Junta de Freguesia de Sambade. "Os habitantes - 450 permanentes – gostaram muito da mudança, a aldeia ficou mais bonita, é uma iluminação branca e não amarela como antigamente e conseguimos manter o mesmo nível de luminosidade", disse o autarca. Sambade junta-se, assim, a mais duas freguesias do distrito de Bragança amigas do ambiente ao estar totalmente equipada com a tecnologia LED.

Cada ano, no terceiro fim-de-semana no mes de Agosto, a cidade fica cheia. Centenas de pessoas voltam pra sua casa e pra sua terra para celebrar a festa da freguesia.  Como você consega preservar a história e os tradições na sua cidade e ao mesmo tempo modernizá-la?

Através de uma atitude proativa e de concordâncias  com outras instituições da freguesia,  onde o papel da junta de freguesia é essencial para gerar consensos e onde o apoio logístico e financeiro é muito importante.

A modernização e evolução da freguesia é um trabalho em conjunto com o Municipio de Alfandega da fé, trabalhamos com o mesmo objetivo, onde aproveitamos os fundos comunitários para requalificar alguns edifícios que não estavam funcionais.

Quem chegar por estes dias a Sambade, Alfândega da Fé, vai certamente aperceber-se que um novo dístico figura em alguns locais públicos da aldeia.

Trata-se do logotipo das “Aldeias de Portugal”. A razão é óbvia, Sambade, a maior aldeia do concelho, é uma “Aldeia de Portugal”. A classificação é entendida como uma oportunidade para a preservação e valorização da localidade, afirmando-a como polo de desenvolvimento e atração turística.

O título resulta de uma candidatura apresentada pela autarquia através da DESTEQUE- Associação para o Desenvolvimento da Terra quente Transmontana. O projeto foi dado a conhecer à população durante uma sessão pública na Casa do Povo, atual Centro Cultural e Tecnológico. Uma apresentação que visou informar e sensibilizar os locais sobre este novo projeto.

A rede de "Aldeias de Portugal" é um projeto desenvolvido pela ATA – Associação de Turismo de Aldeia-. Trata-se de um projeto que visa a criação de uma rede nacional sustentável e de referência na promoção da ruralidade nacional.

Uma nova abordagem ao turismo rural assente na diferenciação e na consolidação de “um produto único, mais personalizado, que valoriza a hospitalidade, o lazer, os usos e costumes.” A marca “Aldeias de Portugal” tem como principal missão “a melhoria da população rural e do culto das vivências e tradição rural portuguesa, através da promoção e preservação do património rural.”

A adesão de Sambade a esta rede é entendida como uma oportunidade dinamizar económica, social e culturalmente a aldeia, valorizando o existente e criando as condições para a atração de novos investimentos e consequentemente fixação da população.

Para além disso as entidades, públicas ou privadas, que pretendam desenvolver projetos diretamente relacionados com o setor turístico beneficiam de um posicionamento privilegiado na submissão de candidaturas a fundos comunitários. Paralelamente, fica garantida a promoção e divulgação nacional e europeia da aldeia e services / atividades associados.

 

Adotada como estratégia pela Freguesia de Sambade, a regeneração urbana assume-se como uma política com indicadores e resultados reconhecidos. Bons exemplos sao o recuperação das  casas antigas para turismo rural, a restauração da fonte luminosa de Sambade, a limpeza de todas as ruas públicas e as obras de manutenção do parque infantil de Sambade. Quais são os seus objetivos e plano para o futuro com estes obras/recuperacoes da freguesia?

Os objetivos são muito simples, Sambade como a maior freguesia do concelho e uma das maiores do distrito tem a obrigação de manter em bom estado de conservação todos os edifícios públicos bem como as infraestruturas existentes.

Quem nos visita encontra uma freguesia limpa e asseada, onde a nossa preocupação é receber bem quem nos visita, para que tenham vontade em nos visitar mais vezes.

Na parte turística, torna se importante o investimento privado, sempre com o apoio do Municipio e da junta de freguesia. De salientar que quem quiser recuperar as casas antigas pode e deve pedir o apoio das instituições existentes para o efeito, de forma a obter informações e eventualmente obter financiamento.

 

Como você descreveria sua freguesia? O que você quer que os nossos leitores saibam sobre Sambade?

Sambade é uma aldeia impar, carregada de historia e tradições.

Situada nas encosta sul da Serra de Bornes, outrora designada como serra de monte –Mel, a aldeia de Sambade é a maior do concelho. Atravessada pela estrada nacional, a igreja matriz, sec. XVIII, assume-se como elemento patrimonial de referência.

Foi um importante centro de produção de lã, de linho e de seda, sendo essa então a sua principal riqueza. Aliás, a aldeia era conhecida como terra de cardadores, ofício ao qual se dedicavam muitos dos habitantes. Ainda hoje, a pastorícia e a agricultura são as principais atividades económicas, destacando-se a produção de castanha.
O topónimo da freguesia está relacionado com uma figura religiosa que aqui viveu. Sambade deriva de Sambadi, ou seja do nome próprio do Padre Sambade, que foi uma figura importante. Este Padre tinha-se tornado célebre no século VIII, nas Astúrias, pela eloquência com que refutou a heresia dos monotelistas, tal como aponta Viterbo no seu Elucidário, artigo Bieco. Outrora, Sambade foi uma das maiores abadias das terras transmontanas, sendo esta do padroado real.
Nesta freguesia do concelho de Alfândega da Fé nasceram ou viveram figuras ilustres que marcaram a região, destacando-se o Padre António José de Mesquita Pimentel, o Escritor Manuel de Sousa Moreira e o Professor João Baptista Vilares.

 

O seu ultimo projeto tem como objetivo criar um ambiente econômico que promova negócios, atraia novos investimentos e modernize as estruturas econômicas. Conte-nos mais sobre o que você conseguiu alcançar até agora nessa direção?

A esse nível temos vindo a investir na na promoção dos produtos endógenos, produzidos em Sambade. Realizamos a Festa da montanha, uma montra para quem nos visita e onde associamos também a atividade cinegética como promotora de turismo e investimento.

Realizamos anualmente a montaria ao javali, onde cerca de 200 caçadores nos visitam e disfrutam da nossa gastronomia.

Temos também várias iniciativas onde a associação recreativa e cultural de Sambade organiza anualmente como o Raid TT onde cerca de 200 participantes disfrutam das nossas belas paisagens. Realiza também o encontro de grupos de cantares de musica tradicional.

Através deste trabalho e outros trabalhos realizados, conseguimos promover outras atividades em conjunto com outras instituições, como o hotel & spa Alfandega da fé, e casas do bairrinho.

 

Quais são os principais objetivos e ideias que pretende desenvolver em um futuro próximo?

Continuar a trabalhar em prol da freguesia, manter todas as instituições em funcionamento de forma a participar e a manter as tradições existentes na freguesia.

Aproveitar os quadros comunitários para investir na aldeia em infraestruturas existentes e elaborar projetos para novos ideias que possamos vir a ter. 

 

Como o Senhor Presidente da Freguesia encontra a ideia de uma plataforma unificada para todas as cidades europeias onde os cidadãos europeus podem obter informações sobre tudo o que acontece na União? Como essa plataforma pode ser útil para os seus projetos?

Acho uma bela ideia, no nosso caso é muito importante saber o que acontece nos outros países, e daí tirar ideias para elaborar novos projetos e aproveitar o melhor que se faz por essa europa fora.